sábado, 22 de dezembro de 2012

"Dizer que te odeio é o maior blefe que pode sair da minha boca. A vida não é justa, ela é certa. A justiça nem sempre anda do lado da razão. Éramos diferentes, achávamos que nos completávamos, mas tudo era mentira. Tudo foi uma ilusão. Não digo que você foi um atraso na minha vida, digo que você foi um adiantamento. Porque você adiou a minha dor, fez com que eu aprendesse o que é falso e verdadeiro, me privou de sentir isso mais tarde. Tenho certeza que foi bem melhor eu ter sentido essa dor agora, porque daqui pra frente eu serei outra pessoa, não totalmente “outra”, mas uma bem diferente da que você conheceu, uma nova pessoa que sempre esteve adormecida dentro de mim e que agora abriu os olhos pra realidade. E isso é tudo por causa de você, ou melhor, graças à você. Não te odeio, como posso odiar alguém que me fez uma pessoa melhor? Não enquanto estava comigo, mas quando partiu. Só tenho que te agradecer por isso. A vida nos dá o que precisamos quando precisamos, e tudo o que nos fez mal um dia, faz brotar um novo aprendizado."

Nenhum comentário:

Postar um comentário